terça-feira, 11 de julho de 2017

O CASTELO MISTERIOSO




O Castelo Misterioso
Era uma vez uma floresta onde havia um castelo esquecido por todos.
Esta floresta tinha muitas plantas maravilhosas e era povoada por encantadores animais.
O castelo estava desabitado há muitos séculos e por esse motivo, encontrava-se em avançado estado de destruição. Era um castelo em ruínas. Todos os animais da floresta faziam daquele castelo a sua habitação.
Certo dia, um rapaz que se chamava João, andava a explorar a floresta, avistando o castelo, lá no cimo da colina, aventurou-se com algum receio aproximar-se do castelo.
Cuidadosamente, procurou uma entrada e muito devagarinho foi avançando por todas aquelas salas enormes.
Numa dessas salas, havia um bonito pássaro esculpido na parede. Os olhos do pássaro eram duas bonitas pedras preciosas que rapidamente chamaram a atenção do rapaz. O João, encantado, tocou nos olhos do pássaro e como que por magia, abriu-se uma porta secreta. A porta dava para umas escadas muito estreitas que ele foi descendo e as escadas foram-se iluminando com a luz de pirilampos que se encontravam nas paredes. Enquanto descia, o João ouvia um rugido de aflição e qual não foi o seu espanto, ao chegar ao fim das escadas! Estava um leão enleado numas lianas que quase tapavam a saída.



Nas escadas estavam várias armaduras de guerreiros antigos e o rapaz encheu-se de coragem e armou-se em cavaleiro com uma delas e cortou as lianas usando uma espada de cavaleiro.
O leão, agradecido, guiou-o a uma encruzilhada de três caminhos já na parte exterior do castelo e desapareceu na floresta. O João não sabia o que fazer, se voltar para trás, se seguir um daqueles caminhos. Mas como era muito curioso, escolheu o caminho do meio e foi caminhando até encontrar uma grande clareira na floresta, onde tudo parecia diferente. Rapidamente, observou alguns animais que por ali passeavam e alguns deles eram muito estranhos: coelhos com orelhas de rato, ratos com patas de coelho, pássaros com cabeça de rato, um lobo com cabeça de elefante e uma girafa com juba de leão.

Ao ver estes animais, o João ficou muito assustado e voltou para trás, fugindo a sete pés.
Chegou novamente à encruzilhada, e ainda ofegante, decidiu-se pelo caminho do lado direito. O caminho era muito escuro, húmido e frio. Tinha de andar com muito cuidado, agarrando-se às paredes, para não escorregar nem tropeçar, até que encontrou areia movediça. No centro estava um livro muito grande, castanho com uns fios dourados. Era um livro muito antigo e parecia mágico, pois estava a pairar sobre a areia sem cair!
O João ao ver o livro, decidiu ir buscá-lo, mas sabia que não era uma tarefa fácil. Pensou em voltar para trás, mas como era curiosíssimo, lançou-se ao livro, rebolando rapidamente pela areia movediça. Num instante, ao agarrar o livro, foi engolido pela areia chegando a um portal super luminoso! Olhou fixamente para o portal e agarrou o livro com todas as suas forças, quando se soltou uma folha que foi cair aos seus pés.
Ao ler a folha, apercebeu-se que estava escrita numa língua antiga, que ele achava muito esquisita. Enquanto tentava descodificar o que estava escrito, ouviu um canto melódico, por uma voz doce de uma menina:

“Viajante do tempo
és tu que me vais ajudar?
Quando vires voar
Não percas tempo...
Não posso mais esperar”

Ao ouvir aquela voz, sentiu-se feliz e triste, porque não sabia como encontrar a chave que o levaria à menina. Nesse momento, rolou uma lágrima pelo seu pequeno e frágil rosto. João pousou o livro no chão e a folha solta rodopiou três vezes no ar e o livro abriu-se, deixando cair uma chave grande e dourada.


O João pegou na chave que brilhava intensamente e foi salvar a menina que, para ele, tinha a voz mais doce do mundo! Quando se aproximou daquela porta mágica e quis abri-la com a chave que brilhava cada vez mais, apareceu um dragão com cinco cabeças que cuspia fogo para todos os lados. Bastante assustado, o João recuou e pensou em desistir mas, como era muito audaz, pôs-se a pensar como poderia passar por aquele enorme dragão!

Mas como ia ser capaz, um rapazinho corajoso mas tão franzino ultrapassar aquele obstáculo?


A certa altura, apareceu um ratinho que se aproximou do menino e lhe segredou aquilo que ele tanto desejava saber: o paradeiro da tão misteriosa menina. O João ficou entusiasmado, mas o dragão continuava lá a impedir a passagem de quem quer que se atrevesse a entrar naquele lugar.
Já estava a anoitecer quando, o rapaz já exausto, decidiu procurar um abrigo onde pudesse descansar um pouco com o seu amigo ratinho.
Quando os primeiros raios de sol entraram naquele esconderijo, o rapazinho e o seu companheiro de aventuras acordaram muito sobressaltados. Eles não podiam perder mais tempo! Logo, pensaram num plano para enfrentar aquele monstro terrível.
De imediato, o ratinho pôs em prática o plano combinado e avançou destemido e determinado a enfrentar aquela criatura.
Não é que aquele pequeno animal se aproximou daquele demónio e assustou-o?
O petiz nem queria acreditar no que estava a acontecer. O dragão era medroso e tinha um grande pavor de ratos!
Então, o João começou a correr em direção ao portal e com a chave dourada conseguiu abri-lo.
Ao abrir o portal encontrou a menina que era a princesa, dona do castelo, que tinha sido amaldiçoada por uma bruxa má. O dragão que guardava o portal, era o animal de estimação da princesa que tinha também sido amaldiçoado. A princesa e o dragão eram os guardiões da natureza.
Como eles eram os guardiões da Natureza, o João pediu a todas as flores e animais do bosque que o ajudassem. Então a Natureza, pediu às nuvens cinzentas do céu que se transformassem numa grande chuvada e assim apagava-se o fogo e quebrava-se o feitiço.
João já conseguiu aproximar-se da linda princesa e de seguida procurou num livro a cura para a sua maldição.
Quando o rapaz olhou para o livro foi pesquisar a cura para a maldição e apercebeu-se que era muito dificil seguir todos os passos para acabar com a maldição. Não desistiu e tentou fazer o primeiro passo tendo conseguido. Tentou o segundo mas falhou à primeira tentativa mas depois venceu a dificuldade. O terceiro passo era muito dificil e ele resolveu ir à biblioteca do castelo e procurar outro livro de magia. Quando encontrou o livro que procurava , leu numa folha do livro que tinha que cortar as cinco cabeças ao dragão para quebrar a maldição. Voltou para trás para ir buscar outra armadura que era dourada e tinha uma jóia mágica que dava poderes à espada. Assim conseguiu completar o terceiro passo e no quarto passo, pediu ajuda à Natureza que escolheu um animal para ajudar o João a derrotar o dragão. E a Natureza escolheu...
… um caramujo!
O João não viu o caramujo atrás dele e ao lançar um feitiço, olhou para trás, tropeçou e o feitiço atingiu o caramujo que se tornou num caramujo lendário com asas. Esse caramujo tinha poderes mágicos , voava muito alto e era mais forte que o dragão.
O rapaz, ao ver aquilo,ficou espantado. Não queria acreditar, esfregou os olhos e tentou ver de novo, mas desta vez o caramujo já não estava lá.
De seguida apareceu a bruxa que tinha amaldiçoado os guardiões da natureza e tentou amaldiçoar o João, mas o caramujo apareceu de novo e refletiu a maldição para a bruxa salvando o João.
Logo que o caramujo se afastou, o João olhou para trás e só viu pó a cair pelo ar. De repente apareceu um corvo com olhos de coruja que se transformava em qualquer animal, esta ave era o animal de estimação da bruxa. O corvo transformou-se então num gato fofinho para enganar o João e levá-lo para uma armadilha, mas o menino como era muito esperto não se deixou enganar. Partiu para o palácio e no salão fez uma festa e convidou os amigos para viverem com ele e ajudarem-no. Quando chegou o dia do seu aniversário, ele e a Natureza foram a uma sala secreta e ouviram uma voz a vir de outro corredor. Foram espreitar e estava uma caixa. A natureza ia abrir a caixa quando o João gritou :
- Para! Não abras, pode ser uma armadilha.
O corvo apareceu olhou para o João e de repente a caixa abriu-se. A bruxa saíu da caixa a rir-se mas a Natureza conseguiu abrir a porta e a bruxa desapareceu e foi para o seu covil.
O animal de estimação da bruxa foi procurá-la na floresta mas não a encontrou ficando muito triste e a chorar. O João ao vê-lo chorar lançou-lhe um feitiço e ele parou de chorar e foi muito feliz para perto dele.
No caminho para o palácio o João viu um lago na floresta, mergulhou e ficou tão espantado porque a água era mágica e lá dentro estavam muitos caramujos com asas. A bruxa desapareceu e foi para o seu covil acompanhada do corvo e todas as maldições foram quebradas.
Agora o castelo começou a transformar-se num castelo feito de diamantes com um jardim cheio de flores onde viviam agora o João , a princesa e todos os seus amigos.
TEXTO COLETIVO DE TODAS AS TURMAS DO 1º CICLO DO AGRUPAMENTO


quarta-feira, 14 de junho de 2017

Leitura com pistas

Os alunos vão ser organizados em grupo de dois ou quatro e vão realizar a atividade que consiste em descobrir nos livros selecionados as pistas que são dadas.
 
O QUE É O DOUTOR DA MULA RUÇA?
“LIVRO EXPRESSÕES COM HISTÓRIA


NO LIVRO “ESTRAMBÓLICOS” ESCREVE DOIS NOMES
 DE ESTRAMBÓLICOS


NO LIVRO “A GARRAFA MÁGICA”TU PODES SABER HÁ
 QUANTOS ANOS EXISTEM BALEIAS NOS OCEANOS.



NO LIVRO “O LOBO PRATEADO”NA ÚLTIMA HISTÓRIA,
 COM QUEM TENCIONAVA O PAI CASAR A SUA FILHA
 SEDNA?



O QUE HAVIA NO JARDIM À ESPERA DO MARTIM?

“QUEM VEM VEM À FESTA DO MARTIM?- LIVRO



QUAL FOI A PALAVRA QUE O RODRIGO DESCOBRIU
 DEPOIS DO NÃO? LIVRO- NÃO



COMO ERA FEITO O ESCONDERIJO QUE O AFONSO
 FEZ EM CASA?”MUDOU-DE UM MONSTRO CÁ PARA CASA”



COMO ERA O BOSQUE?- LIVRO GRANDE E PEQUENO



NO REINO DA FANTASIA COM ERA COMPOSTO O
 TERRITÓRIO E COMO ERA A SUA BANDEIRA? DO
 MESMO LIVRO LÊ AOS TEUS COLEGAS “A PEQUENA
 SEREIA”



NO LIVRO “HÁ UM PIRATA NA INTERNET “QUEM É 
NICK NINGUÉM?NO MESMO LIVRO DIZ QUAL É O SEU 
SONHO SECRETO

terça-feira, 6 de junho de 2017

Dia do ambiente

Esta semana estão a realizar-se na BE trabalhos alusivos ao ambiente com todas as turmas do primeiro ciclo. Para introduzir o tema foi lido pelos alunos o livro "Mundo verde" que ajuda os alunos a tomar atitudes no seu dia a dia em defesa do ambiente.

Dia da Criança

Dia da criança

 Ao longo da semana, que integrava o dia da criança, os alunos na BE escreveram mensagens de otimismo que distrIbuíram no dia da Criança e participaram na elaboração de cartazes que foram colocados nas paredes exteriores da escola para toda a comunidade ler.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Leituras ao ar livre

Hoje na Eb1 de Milfontes as turmas de todos os anos fizeram leituras de textos em prosa e em poesia ao ar livre. Foi agradável e divertido.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Concurso de leitura

Foi no passado dia vinte e sete de abril que se realizou na Biblioteca Municipal o Concurso de leitura com a participação das várias escolas do concelho.Na nossa escola foi atribuído o primeiro prémio do quarto ano ao aluno José Lima da EB1 de Brunheiras.

DIA DA EUROPA

Comemoração da efeméride - Dia da Europa

Os alunos  de várias turmas ouviram o hino europeu e a lenda da Europa. Pesquisaram países ,bandeiras e curiosidades em livros e na internet.